Saúde Oral

Cáries

A cárie dentária é uma doença muito comum e afeta quase 90 % da população.


 

Para lá do desconforto que provoca, a cárie afeta a saúde geral do indivíduo ao dificultar a mastigação, alterar o desenvolvimento do organismo, alterar a estética facial, provocar perturbações da fala e originar complicações infeciosas.

 

É normal existirem bactérias na boca, que convertem os alimentos em ácidos. A cárie dentária é uma doença de origem bacteriana, implicando a participação de vários factores durante um certo período de tempo, para que ela se manifeste clinicamente. De facto, a presença de bactérias na boca, associada a uma alimentação inadequada e a uma higiene oral deficiente, é um factor decisivo para o desenvolvimento das cáries.

 

Quando os alimentos que contêm hidratos de carbono, como os doces, bolos, chocolates, gomas, etc., são ingeridos, as bactérias vão decompô-los formando ácidos que dissolvem o conteúdo mineral dos dentes, assim causando a cárie. Nem todos os dentes são afectados da mesma forma, sendo alguns mais susceptíveis à cárie. Os dentes acabados de romper, molares e pré-molares, que, pela sua forma mais irregular, permitem que os restos alimentares se alojem mais facilmente e durante mais tempo, são dentes com maior tendência para o desenvolvimento de cáries.

Gengivite

As doenças periodontais inflamam e destroem as estruturas que envolvem e dão suporte aos dentes, sobretudo as gengivas, o maxilar e a camada externa da raiz do dente.

Entre elas temos a Gengivite, uma doença que apresenta inflamação das gengivas.

 

A gengivite pode não apresentar dor, então é importante ficar atento a qualquer um dos sintomas que possa surgir:


  • Gengiva inchada, vermelha, sensível ou com sangramento
  • Gengiva que recua ou se afasta do dente
  • Mau hálito persistente ou mau gosto na boca
  • Dentes soltos
  • Pus visível em torno dos dentes e gengiva

 

No entanto, uma gengivite sem tratamento pode converter-se em periodontite, uma doença mais grave das gengivas que pode ter como consequência a perda dos dentes.

As causas para este problema resultam, na maioria das vezes, de uma escovagem e limpeza com fio dentário inadequadas, mas podem também resultar de distúrbios médicos ou do uso de certos medicamentos. Numa escovagem inadequada, a placa bacteriana permanece ao longo da linha da gengiva e se acumula entre as gengivas e os dentes. Quando a placa bacteriana permanece nos dentes mais de 72 horas, pode solidificar-se sob a forma de tártaro, que não é totalmente eliminado através da escovagem e da utilização de fio dental. A placa causa irritação nas gengivas e forma bolsas entre os dentes e as gengivas. As bactérias que vivem nessas bolsas podem causar gengivite, além de cáries nas raízes dos dentes.

 

Por isso, nada melhor do que prevenir! Isso passa, não só, por ter uma boa higiene oral, mas também manter uma alimentação correta para garantir nutrição adequada, evitar cigarros e outras formas de tabaco e ainda ir ao dentista regularmente.

Halitose

A halitose é o termo médico utilizado para designar a presença de um hálito desagradável e afeta cerca de 30% da população mundial.

 

O hálito humano é um gás de uma composição complexa, onde se incluem múltiplos compostos voláteis. São diversos os factores que determinam a ocorrência destes compostos, nomeadamente o estado de saúde geral, a condição física, diversas doenças, a ingestão alimentar e medicamentos, factores ambientais e o estilo de vida.

Uma das causas mais comuns reside nos alimentos. A presença de partículas alimentares nos dentes aumenta a presença de bactérias e origina um mau odor. Alguns alimentos, como a cebola, alho e especiarias podem também causar mau hálito. Esses alimentos, após digeridos, passam para a circulação, alcançam os pulmões e afectam o hálito.

 

A higiene oral e dentária é um passo essencial no tratamento da halitose.


O tratamento das doenças gengivais, da periodontite, das cáries é muito importante e deve ser complementado com uma boa higiene oral, que deve incluir uma boa pasta dentífrica, um elixir oral e o fio dentário. Quando a causa não é oral, será importante investigar outras causas e o tratamento irá variar em função do que for detetado.